Impotência sexual masculina: apesar de não trazer riscos à vida, pode levar à depressão

Impotência sexual masculina: apesar de não trazer riscos à vida, pode levar à depressão

Também conhecida como disfunção erétil, a impotência sexual é a incapacidade de o homem manter uma ereção do pênis suficiente para que haja relações sexuais.

Apesar de não ser um problema de saúde que traga riscos à vida, ela pode trazer consequências indesejáveis para o indivíduo, influenciando em relacionamentos e autoestima e podendo, inclusive, levar à depressão.

Saiba mais: Prime Male benefícios

Para que seja considerada disfunção erétil, o homem precisa ser incapaz de ter ereções em pelo menos 75% das tentativas. Não conseguir ter ereção satisfatória por vez ou outra é completamente normal e acontece com todos os homens, mesmo com os mais jovens.

Os homens apresentam quatro grandes grupos de problemas sexuais:

– Disfunção erétil;

– Ejaculação precoce;

– Falta de libido;

– Dificuldades para ejacular.

A causa mais comum da impotência é o dano das artérias, músculos lisos e tecidos fibrosos, muitas vezes como resultado de uma doença, especialmente diabetes, doença renal, alcoolismo crônico, esclerose múltipla, arteriosclerose e doenças dos vasos sanguíneos, que provocam cerca de 70% dos casos.

As intervenções cirúrgicas podem ferir os nervos e artérias perto do pênis, causando impotência. Além disso, muitos medicamentos comuns provocam impotência, como efeito colateral, incluindo medicamentos para tratar a hipertensão, anti-histamínicos, antidepressivos, tranquilizantes, inibidores de apetite e cimetidina (usada para tratar úlcera péptica).

Especialistas estimam que 10 a 20% dos casos de impotência são devido a fatores psicológicos, como estresse, ansiedade, culpa, depressão, baixa autoestima e medo de ser incapaz de realizar o ato sexual. O fumo que afeta o fluxo sanguíneo nas veias e artérias é outra possível causa.

Os textos publicados no site do Hospital viValle têm caráter informativo e não substituem a opinião de especialistas. Para diagnósticos corretos e esclarecer dúvidas, converse com um médico.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *