Categoria: Impotência

Impotência sexual masculina

Impotência sexual masculina

Também conhecida como disfunção erétil, a impotência sexual é a incapacidade de o homem manter uma ereção do pênis suficiente para que haja relações sexuais.

Apesar de não ser um problema de saúde que traga riscos à vida, ela pode trazer consequências indesejáveis para o indivíduo, influenciando em relacionamentos e autoestima e podendo, inclusive, levar à depressão.

Para que seja considerada disfunção erétil, o homem precisa ser incapaz de ter ereções em pelo menos 75% das tentativas. Não conseguir ter ereção satisfatória por vez ou outra é completamente normal e acontece com todos os homens, mesmo com os mais jovens.

Leia também: o que é remédio para ereção

Os homens apresentam quatro grandes grupos de problemas sexuais:

– Disfunção erétil;

– Ejaculação precoce;

– Falta de libido;

– Dificuldades para ejacular.

A causa mais comum da impotência é o dano das artérias, músculos lisos e tecidos fibrosos, muitas vezes como resultado de uma doença, especialmente diabetes, doença renal, alcoolismo crônico, esclerose múltipla, arteriosclerose e doenças dos vasos sanguíneos, que provocam cerca de 70% dos casos.

As intervenções cirúrgicas podem ferir os nervos e artérias perto do pênis, causando impotência. Além disso, muitos medicamentos comuns provocam impotência, como efeito colateral, incluindo medicamentos para tratar a hipertensão, anti-histamínicos, antidepressivos, tranquilizantes, inibidores de apetite e cimetidina (usada para tratar úlcera péptica).

Especialistas estimam que 10 a 20% dos casos de impotência são devido a fatores psicológicos, como estresse, ansiedade, culpa, depressão, baixa autoestima e medo de ser incapaz de realizar o ato sexual. O fumo que afeta o fluxo sanguíneo nas veias e artérias é outra possível causa.

Os textos publicados no site do Hospital viValle têm caráter informativo e não substituem a opinião de especialistas. Para diagnósticos corretos e esclarecer dúvidas, converse com um médico.

Ejaculação Precoce – O que é ? O que fazer? Entenda o problema e aprenda a controlar

Ejaculação Precoce – O que é ? O que fazer? Entenda o problema e aprenda a controlar

Quero começar esse texto com uma pergunta importante? Você está satisfeito com seu desempenho na cama? Que tal ter uma transa AINDA MAIS LONGA? O segredo está aqui ► Clique enquanto ainda está no ar…
A ejaculação precoce é o orgasmo prematuro do homem, ela pode acontecer logo após a penetração ou até antes que a relação sexual aconteça. O diagnóstico do problema é somente para os homens que tem o problema com frequência. Um ou outro episódio podem ser descartados, afinal, há grandes chances de estarem ligados a tensões momentâneas.

A verdade é que ansiedade e sexo não se atraem. A prova disso está na palavra dos 30% de homens do mundo que sofre da ejaculação precoce, a recorrência é tão grande que passou a ser tratada como uma questão de saúde pública. As consequências vão muito além das decepções nos lençóis, resultam em depressão, stress e perda de qualidade de vida.

Sintomas da Ejaculação precoce
Para saber se você tem ejaculação precoce é preciso estar atento a algumas sensações durante a relação sexual. Se os sintomas forem recorrentes na vida sexual o diagnóstico é positivo. Caso contrário a recomendação é usar alguns métodos naturais para aliviar a ansiedade.

Dificuldade em controlar a ereção por menos de um minuto de penetração
Incapacidade de retardar a ereção ou realizar o coito interrompido
Ansiedade e agitação além do normal no momento da relação sexual
Frustração antes ou após o coito
Incapacidade de manter algumas posições sexuais por mais de alguns segundos sem ejacular
Baixa auto-estima e autoconfiança
Depressão, stress e ansiedade
A ejaculação precoce não é um sinônimo de inexperiência, mesmo que o histórico sexual influencie na performance do homem. O problema pode aparecer em dois casos: pessoas mais jovens como adolescentes ou quem praticou pouco sexo ou então em homens que tinham um desempenho de bom no passado e passou a sofrer dos sintomas. Este é o caso da manifestação da ejaculação precoce secundária,tem as mesmas causas de quem já inicia a vida sexual com o problema.

Tratar a ejaculação precoce e a disfunção erétil é o primeiro passo para que os homens possam manter uma relação sexual melhor com sua parceira, além de que isso também pode trazer resultados melhores durante o ato sexual, diminuindo os casos de ejaculação em muitos homens.

Se você está querendo saber melhores técnicas que podem auxiliar como tratamentos da ejaculação preciso, leia abaixo muito mais sobre terapia sexual, entenda melhor sobre sensibilidade do pênis, a técnica do aperto e muito mais que é necessário aos pacientes.

Como é feito o diagnóstico?
Primeiro você precisa ir até o médico mais indicado para esse caso, que é o urologista ou o psiquiatra. É importante que você só procure ajuda médica quando os acontecimentos estão quase crônicos e sempre constante.

Uma ejaculação normal acontece dentro de cinco minutos – em média -, já é considerada precoce quando acontece logo no primeiro ou segundo minuto da penetração. Em casos mais extremos, ela pode acontecer até mesmo antes da penetração.

O médico vai fazer uma série de perguntas sobre sua vida sexual. É importante que você não tenha vergonha de ir até o local, acredite, esse médico vê pessoas com o mesmo problema o dia inteiro.

Para concluir o diagnóstico e o exame, o paciente terá que fazer um teste físico, além de alguns exames de sangue podem ser solicitados para avaliar a quantidade de testosterona na corrente sanguínea do paciente.

Porém ao começar a ver os sintomas iniciais já é possível ver se é ejaculação precoce, entender melhor sobre as causas e sintomas e o que é necessário fazer para melhorar o seu bem estar.

Tipos de ejaculação precoce
É importante que você entenda que a ejaculação precoce pode ser causada por diferentes motivos e também que há dois tipos, veja abaixo quais são elas e os sintomas:

Ejaculação precoce primária
Essa é aquela ejaculação que está relacionada com problemas que já perduram pela vida do paciente durante boa parte da vida. Esse tipo de problema é responsável por 65% dos casos da doença.

Também existe aquele tipo de ejaculação precoce que acontece antes mesmo de ocorrer a penetração de fato, nesse quesito, ela toma conta de 50% dos problemas.

O problema fica mais aparente nos homens com o avanço da idade, muitas vezes essa ejaculação acontece em menos de 1 minuto do início da penetração, tudo devido a grande sensibilidade do pênis. Os sintomas são os mesmos já citados, somente os fatores são diferentes, o que é uma coisa necessária de ser conhecida de modo que é da sua conta na hora de procurar soluções para as principais causas.

Ejaculação precoce secundária
Ela acontece quando o paciente passa por um possível trauma ou problema muito marcante. Esses problemas podem ser desde vindos do hipertireoidismo, fimose, supersensibilidade da glande, além de alguns problema neurológicos e que foram causados por medicamentos.

Também acontece após uma possível doença como prostatite, que é facilmente resolvida por meio do uso dos medicamentos corretos. Outro problema que é ejaculação secundária é quando acontece apenas com determinada pessoa. Os sintomas e tratamento são diagnosticados pelo médico, tudo isso é possível se os pacientes forem atrás de tratar o problema que consiste em ejaculação precoce.

Uma forma natural para manter sua ereção
Muitos homens reclamam sobre as ereções curtas – menos de 3 minutos… Eu jamais quero passar por uma situação dessa. Se você está sofrendo com isso, posso te dizer que há soluções naturais que podem fazer você voltar a ser uma máquina de fazer sexo. Conheça abaixo o Melhor suplemento do mercado, que ajuda a manter a ereção durante o sexo:

Xtrasize
Esse produto está há mais de 7 anos no mercado e é o substituto ideal do Viagra. Você não precisa de receita e nem indicação médica para começar a tomar o Xtrasize. E os resultados virão na velocidade da luz! Você só encontra o Xtrasize pela internet, e para fazer a sua compra, basta clicar aqui (esse é o link da loja OFICIAL do produto).

O tratamento simples e vai ter ajudar nos seguintes aspectos:

Ereção Prolongada
Fim da Ejaculação Precoce
Aumento do Libido (vontade de transar mais)
Performance de Ator Pornô
O seu Pau vai Explodir!

Principais causas
Ansiedade e stress
Quadros de depressão
Problemas emocionais ligados a relacionamentos passados
Efeitos colaterais de medicamentos (como psicotrópicos)
Desnivelamento do hormônio da tireoide
Aumento do nível de neurotransmissores
Inflamação na próstata
Fatores genéticos
Danos no sistema nervoso
Distúrbios de atenção
A principal causa da ejaculação precoce no homem é a ansiedade ou tensão. Este problema traz sintomas não somente na cama como para todos os setores da vida e pode estar relacionado a problemas psicológicos e de ordem emocional como experiências frustrantes, traumas e outros.

Em alguns homens a manifestação de ansiedade e tensão se apresenta somente quando acontece o relacionamento com a parceira. Isso indica problemas atrelados a relacionamentos e precisa ser tratado com medicação específica aliado a terapia para desenvolvimento e compreensão das emoções com ajuda de um psicólogo.

É importante também você saber diferenciar os tipos de causas, isso porque elas são divididas em fatores psicológicos e os fatores biológicos. Veja abaixo quais são eles:

Fatores biológicos
Problemas na tireoide;
Alguns fatores genéticos;
Inflamação ou uma possível infecção na próstata ou uretra;
Os níveis hormonais desequilibrados;
Os níveis dos neurotransmissores acima do aceitável;
Problemas no sistema de ejaculação;
Problemas no sistema nervoso que foram causados por experiência traumáticas ou possíveis cirurgias.
Fatores psicológicos
A ansiedade.
Disfunção erétil;
Problemas ao se relacionar com a parceira ou parceiro;
Utilizar medicamentos psicotrópicos.
Fatores de Risco
Em alguns momentos da vida ou condições biológicas aumentam as chances de ocorrência de uma ejaculação precoce. A maioria deles são de ordem emocional e psicológica:

Problemas para manter uma ereção
Medo de perder uma ereção
Inabilidade mental para lidar com relação sexuais
Incapacidade de concentração na parceira
Doenças cardíacas
A pressão social é algo que contribui em muito para a recorrência da ejaculação precoce, é um fator de risco incidente principalmente na adolescência. Quando o parceiro está pressionado a ter uma boa performance e fazer a relação sexual durar muito torna-se mais estressado e mantém os músculos contraídos: o resultado é a ejaculação prematura.

Tratamento e prevenção
Não existe remédio específico para o tratamento da ejaculação precoce. O mais próximo é o uso de anestésicos locais ou antidepressivos de efeito curto como a depoxatina. Os remédios mais receitados são antidepressivos, relaxantes musculares e ansiolíticos. O problema é que entre os efeitos colaterais está a falta de emoção, amortecimento e falta de emoção durante a relação sexual.

Os tratamentos caseiros envolvem técnicas que ajudam a controlar a ansiedade e relaxar os músculos, podem ser feitos poucos minutos antes da relação sexual ou durante. Os mais comuns são:

Adquirir mais experiência sexual
Técnica do exercícios de Kangel para relaxar o músculo pubociccígeo
Fazer uso de pomadas, cremes e sprays
Tipos de masturbação
Posições sexuais mais relaxantes
Uma boa massagem
Sexo oral com masturbação antes da penetração
Realizar paradas durante a relação
Segurar o pênis pouco antes da ejaculação
Para saber como fazer cada uma destas técnicas funcionar veja aqui dicas completas de como evitar a ejaculação precoce e ter muito mais tempo de relação sexual.

Os tratamentos mais comuns
Há vários tipos de tratamento, como você pode acompanhar anteriormente, leia abaixo quais as mais indicadas e como funcionam:

Caprichar nas preliminares
Além de deixar a sua parceira mais feliz e com muito mais vontade de ter relações sexuais com você, você pode ganhar muito mais tempo por meio do sexo oral, masturbação e tantas outras técnicas.

Você vai se sentir muito mais à vontade, além de que a relação fica mais gostosa e as chances de sua parceira chegar até o orgasmo são muito mais rápidas do que pelos meios convencionais.

Hipnose
Comprovada como um dos médicos mais efetivos, a hipnose trabalha no subconsciente da pessoa, desse modo, essas sessões ajudam ao paciente a manter a ereção durante muito mais tempo. Muitos homens que participaram desse tipo de tratamento alternativo falaram que os efeitos são reais e funcionam mesmo.

Terapia Sexual
Conhecida como a técnica de se masturbar antes da relação, desse modo a ereção permanece por mais tempo durante o sexo em si.

Você também deve procurar outras maneiras de sentir prazer, indo sempre além de somente a penetração. Converse com sua parceira e veja as possibilidades que está ao alcance dos dois.

Método “começa e para” ou os clássicos exercícios penianos
Um método rápido e fácil que pode ser feito pelo próprio paciente ou com a ajuda da parceira, a técnica do “começa e para” é simples: estimular o homem sexualmente até que ele quase atinja o orgasmo, quando chegar nesse momento, a estimulação deve ser interrompida pelo tempo de 30 segundos.

Assim, se inicia novamente. É preciso prosseguir com esse movimento até que se queira ejacular.

A técnica do aperto
Bem parecida com o método anterior: depois do momento do estímulo e quando a ejaculação está para acontecer, é preciso para e apertar levemente durante alguns segundos a parte final do pênis, bem onde a glande se encontra com o eixo.

Ao fazer isso, é necessário esperar 30 segundos e então começar novamente a penetração ou masturbação até o momento de atingir o orgasmo. Essa técnica pode ser feita várias vezes.

Uso de medicamentos
Em casos mais sérios, é necessário fazer o uso de alguns medicamentos para prolongar a ejaculação. Na maioria das vezes são usados antidepressivos, além de algumas pomadas anestésicas de modo a diminuir a sensibilidade.

Os medicamentos mais indicados podem ser a Clomipramina e o Anafranil. É necessário sempre consultar um médico, não faça a automedicação, ela é super perigosa.

Alimentos específicos
Há alguns alimentos que você pode inserir na sua alimentação que podem ajudar no tratamento da ejaculação precoce. Os leites, os ovos e derivados são super indicados, isso porque aumentam a sensação de felicidade e causam a sensação de relaxamento do corpo.

Outro alimento que também é indicado é o espinafre, ele é um aliado para quem sofre de ansiedade. O mesmo acontece com o uso de frutas cítricas que também trazem a sensação de bem estar no corpo durante horas.

Massagem tântrica
Por meio dessa massagem, o paciente fica relaxado e consegue controlar melhor a sua ejaculação. Ela é feita com movimentos destinados ao pênis, períneo, testículos e na área erógena.

Exercícios na região sexual
É possível exercitar a região do assoalho pélvico, sempre no momento que for urinar. Interrompa o fluxo do xixi pelo tempo de cinco segundos. Desse modo, ao conseguir controlar o seu fluxo de urina, é possível também ter controle sob o orgasmo.

Uso de ervas específicas
Você pode incluir o consumo de determinadas ervas na sua alimentação, como por exemplo: leite de aspargos, cebolas brancas, inhame selvagem, flor da paixão e o chá de cravo. Eles podem ajudar a diminuir a ejaculação precoce. É indicado tomar o chá de cravo duas vezes ao dia.

Diminuir ou parar com o cigarro, drogas e álcool
Os três tem influencia direta na ejaculação precoce. Experimente diminuir eles e veja o seu corpo dar sinais de melhora.

Possíveis complicações
A ejaculação precoce não traz problemas para a saúde em si, porém tem interferência direta na timidez, autoestima e traz complicações na vida a dois.

Em casos mais extremos, é possível interferir na fertilidade, sendo necessário tratamento para engravidar.

Como conviver com o problema?
É necessário fazer uso das técnicas descritas acima e procurar um profissional no assunto para iniciar o tratamento.

FAQ – Perguntas frequentes sobre ejaculação precoce
Saiba aqui todas as respostas para o seu caso de ejaculação precoce e tenha toda a instrução necessária para curar sem precisar sair de casa e ter total domínio da usa disfunção erétil.

Veja isso com Atenção!
Sua Mulher Muito Mais Satisfeita na Cama: Você quer deixar sua mulher ainda MAIS louca de tesão por você? Eu tenho um segredo para compartilhar contigo… [clique aqui que é sucesso!]
Existe remédio para ejaculação precoce?
Não existe um remédio específico para ejaculação precoce. Somente cremes, pomadas e outros que são vendidos na internet e que ajudam a controlar a ereção no momento do ato sexual. No entanto, para superar o problema ainda é preciso utilizar medicações que vão além como antidepressivos, ansiolíticos e tratamento psicológico.

Qual é o tempo mínimo para atingir um orgasmo sem ser precoce?
É difícil estabelecer um tempo mínimo para atingir o orgasmo e ejacular. Isso também varia entre os sexos, para mulher é mais demorado. De acordo com uma média apurada pelo Journal of Sexual Medicine, a média da relação sexual é de 5,4 minutos. Foram avaliados o tempo de relação de 500 casais de cinco países durante um mês. Quando a ejaculação acontece entre 1 minuto e 1,5 há caracterização da ejaculação prematura.

A caracterização da ejaculação precoce deixa de satisfazer a companheira em 50% dos atos sexuais estudados. Em outros estudos essa taxa é elevada para 80% dos episódios.

A mulher pode ajudar no tratamento?
A ideia de terapia do casal para tratar a ejaculação precoce é muito recomendada. Ela pode estimular o desenvolvimento de autoconfiança no homem e algumas práticas durante a própria relação sexual também ajudam, como uma boa massagem, relaxamento e outas técnicas que mostram somente afeto e não uma tentativa de durar o ato sexual, o que causa pressão psicológica.

Posso tomar viagra para curar ejaculação precoce?
Alguns viagras ajudam a melhorar a circulação e garantir mais tempo de relação sexual, controlando a ejaculação. No entanto é preciso estar atento a fórmula, os inibidores da enzimafosfodiesterase 5 ajudam a relaxar as células e são os mais recomendados.

Além disso, os famosos viagras também ajudam a aumentar o intervalo entre uma ereção e a segunda. A recomendação é de que aconteça a masturbação anteriormente a relação sexual até ejacular. Depois, quando a excitação acontecer novamente será possível passar bastante tempo sob atividade.

Outro ponto positivo do uso deste tipo de medicamento é que eles ajudam a dar confiança para o homem. Afinal, após uma boa experiência e satisfação da parceira passa-se a sentir mais capaz de construir uma boa vida sexual, sem frustrações.

No que devo pensar durante a relação para ajudar a controlar a ejaculação?
Existe um boato de que pensar em assuntos aleatórios durante o ato sexual ajudam a controlar a ejaculação, no entanto isso não funciona. A melhor coisa a fazer é se concentrar na companheira, prestar atenção nos gestos, sentir-se estimulado e não ficar pensando no seu desempenho – isso aumenta a pressão psicológica e tensão.

Ducha fria funciona?
Tudo depende da sensação, se relaxar pode ajudar sim.

Bebidas alcoólicas ajudam a relaxar ?
Essa situação é bem complexa. Porque cada pessoa tem um efeito diferente sobre o alcool, como ele age diretamente no sistema nervoso central pode manter um efeito anestésico, mas uma dose a mais será o suficiente para adiantar o efeito da ereção. Não deve-se tornar dependente do álcool para ter relações boas e duradouras.

Drogas psicoativas como maconha, heroina e cocaina tem efeito sobre a ejaculação?
Nas primeiras vezes o uso de drogras podem retardar a ejaculação, mas o erro de dosagem pode causar a perda da ereção e o uso abusivo também pode descarregar diferentes efeitos colaterais maléficos ao organismo.

Adolescentes e jovens ejaculam mais rápido?
De modo geral sim. A falta de experiência e pressão social característica da idade faz com que a tensão durante a relação seja maior para estes públicos. O resultado está na ejaculação precoce e perda de desempenho sexual.

Quando e qual médico procurar
A ejaculação precoce precisa ser tratada com ajuda de um especialista como urologista. O primeiro passo é aceitar o problema e tentar resolvê-lo com técnicas naturais tais como exercícios, relaxamento e outras atividades que ajudam a prevenir a ejaculação.

No entanto, como ninguém quer depender de exercícios durante a relação sexual para ter um bom desempenho na cama a melhor recomendação é a procura de um médico para indicação do tratamento adequado.

Leia também: Aumento peniano funciona

O tratamento vai depender totalmente do diagnóstico e causas da ejaculação precoce para cada um. Alguns precisarão tomar remédios antidepressivos, outros recomenda-se somente cremes e pomadas. Para outros a consulta com psicólogos poderá ser indicada para a longo prazo melhorar a sensação emocional e aliviar a ansiedade em todos os setores, incluindo na vida sexual.

Se você parar o tratamento com antidepressivos, que é atualmente o remédio mais indicado para a situação, considere que poderá haver voltas do problema. Além disso, por agir no sistema nervoso central e coma recaptação de seratonina pode resultar em efeitos colaterais severos, incluindo sinais de dependência. Só suspenda a medicação com orientação médica.

Para os homens que tem uma parceira fixa é preciso estar aberto ao tratamento psicoterápico com o casal. Assim é possível orientar toda a relação sexual, o que certamente trará melhorias do relacionamento em geral e não somente debaixo dos lençois.

Também é preciso considerar que o orgasmo é relativamente raro, muito mais incomum nas mulheres do que nos homens. A relação sexual não precisa necessariamente terminar em uma ejaculação ou climax. O único critério é que seja prazeroso tanto para você como para sua parceira. Você pode ter seu ápice antes da mulher ou vice e versa, desde que não haja constrangimentos e nem frustração.

Como aumentar o pênis: Veja as melhores dicas e métodos para um aumento peniano eficaz!

Como aumentar o pênis: Veja as melhores dicas e métodos para um aumento peniano eficaz!

Muitos homens enfrentam problemas de autoestima por causa do tamanho do órgão sexual, mas será que tem como aumentar o pênis? Quais técnicas podem ser utilizadas? E na hora do sexo, é possível deixá-lo maior? Todas essas dúvidas vão ser respondidas agora.

Veja, nos próximos tópicos, o que você precisa saber a respeito dessa dúvida que paira na cabeça de muitos homens em todo o mundo. Afinal de contas, como aumentar o pênis?

Contents [hide]

1 Exercícios para aumentar o pênis
2 Alongamento normal
3 Alongamento invertido
4 Como aumentar o pênis com aparelhos de alongamento
5 Existe cirurgia para aumentar o pênis?
6 Outras alternativas de como aumentar o pênis
7 Macho Macho
8 Onde posso comprar o Macho Macho com segurança?
9 Benefícios
10 Macho Macho Funciona mesmo? Vale a pena?
11 Bomba peniana
12 Onde posso comprar a Bomba Peniana?
13 Benefícios do Produto
14 A Bomba Peniana funciona de verdade?
Exercícios para aumentar o pênis
Dentro do meio científico, ainda existem dúvidas a respeito da eficácia do uso de exercícios penianos que possam gerar aumento do membro. Porém, algumas pessoas já declararam terem tido resultados positivos após a realização dessas atividades. Com esses exercícios você pode conseguir resultados tanto no comprimento, quanto na circunferência

A dica principal é realizar os exercícios sempre quando não estiver excitado. Isso porque mexer no pênis duro pode causar micro lesões no órgão, portanto não tente fazer isso de forma alguma.

Alongamento normal
Antes de começar os exercícios, aqueça todo o pênis com o uso de uma toalha encharcada de água morna. Faça isso três vezes para deixá-lo preparado para as atividades. Em seguida faça o principal exercício de aumento peniano que é o de alongamento.

Para isso é necessário passar um gel em toda a extensão do membro antes de começar a praticar a atividade. Depois, envolva a base do pênis com o dedão e o indicador, segure firme, mas sem gerar dor.

Aí é só fazer o movimento de empurrar esses dedos por toda a extensão do órgão, mantendo a pressão firme desde o início.

Ao chegar na glande, coloque os dedos da outra mão na base do pênis. É essencial que você não solte o membro por um segundo sequer. Repita o processo, faça isso por, pelo menos, 10 vezes a cada seção de exercício.

Alongamento invertido
Outro exercício é o alongamento invertido. Para praticá-lo você deve colocar o polegar das duas mãos a 1 cm abaixo da glande e os outros dedos por baixo do pênis.

Depois puxe suavemente a pele para trás usando o polegar, sem mover os dedos que estão em baixo, até sentir a pele se alongando. Você não deve sentir dor, caso sinta algum desconforto pare imediatamente.

Mantenha essa posição por 20 segundos e depois relaxe. Repita entre 5 a 7 vezes, dando pausas de relaxamento entre cada repetição.

Como aumentar o pênis com aparelhos de alongamento
Outra opção de como aumentar o pênis são os aparelhos de alongamento. Essa opção envolve um aparelho ou um peso que é preso na base da glande e que assim gera pressão no pênis para alongar.

Os resultados deste tratamento não são imediatos, mas caso seja feito o uso contínuo e correto, dentro de alguns meses você já percebe resultados. Um exemplo de aparelho eficaz é o extensor peniano. O da marca , por exemplo, que é o mais confiável do mercado atual, foi elaborado por um médico especialista em aperfeiçoamento masculino.

Os extensores penianos são baseados nas técnicas antigas das mulheres Padaung, que vivem em tribos em que há a crença de que um pescoço mais longo é mais bonito. Assim, o extensor atua da mesma forma que o colar dessas mulheres, alongando o membro constantemente para que ele cresça a partir das divisões celulares.

Existe cirurgia para aumentar o pênis?
Existe uma série de procedimentos cirúrgicos que são realizados por médicos especializados para aumentar o pênis ou trazer a sensação de aumento peniano. O problema é que para fazer tais cirurgias é preciso que realmente exista algum problema no desenvolvimento do seu membro.

Caso seja apenas pela sua falta de autoestima, provavelmente, nenhum médico vai indicar ou fazer as cirurgias.

Leia também: Como aumentar o Pênis

Entre as cirurgias feitas nos adultos com o chamado micro pênis existem:

Plástica de inserção de bolsa escrotal
Lipoaspiração da gordura pré-pública,
Lipoenxertia
Secção do ligamento suspensor.
Todos os nomes podem parecer estranhos, mas trabalham em regiões próximas ao pênis para dar essa sensação de aumento. Em algumas situações, as cirurgias são realizadas no próprio órgão.

A medicina ainda afirma que, quando se está na puberdade, é possível aumentar o pênis a partir de um tratamento hormonal. Mas isso acaba quando essa fase passa.

Por isso, se você tem problema com isso e ainda estiver na adolescência, busque um especialista, porque há solução para o seu problema e ela é simples, com base em medicamentos, sem dor e sem efeitos colaterais.

Outras alternativas de como aumentar o pênis
Confira agora outras dicas e alternativas que separamos para você de como aumentar o pênis:

Macho Macho
Você já ouviu falar do Macho Macho? Nesse texto você pôde ver alternativas e dicas para como aumentar o pênis, para assim você ter um melhor desempenho sexual na “hora H”. E um produto que pode ajudar nisso é o Macho Macho. Um gel incrível, que está fazendo maior sucesso entre os homens, justamente por ser confiável, completo, e poderoso.

O Macho Macho é um creme que não provoca efeitos colaterais. Sua fórmula exclusiva proporciona uma série de benefícios, como, por exemplo, o alargamento do pênis em 5 cm ao mês. Todos esses benefícios vão te proporcionar orgasmos muito mais intensos e duradouros e ereções firmes. Se você não tem mais autoestima e confiança na hora do sexo, esse produto é para você!

Onde posso comprar o Macho Macho com segurança?
Para comprar o seu produto na comodidade da sua casa, é muito fácil, basta você acessar o site oficial, e realizar sua compra com todo sigilo e segurança. Lembrando que para manter o padrão e a qualidade do produto ele não é vendido em farmácias e lojas físicas, apenas pelo site oficial.

Ao acessar a página do fabricante você se depara com 3 ofertas INCRÍVEIS, podendo levar para casa, 2, 4 ou 7 frascos do produto, por preços imperdíveis, que cabem no seu bolso.

Ao realizar seu pagamento você poderá optar pelo cartão de crédito ou boleto bancário, sendo que o mais indicado normalmente é o crédito. Assim você te mais controle do seu pagamento e o produto chega mais rápido na sua casa.

Vale lembrar que todas as ofertas são cheias de vantagens e benefícios. E o melhor você pode fazer tudo isso sem sair de casa. Incrível, não?

Lembrando que é essencial que a compra seja feita unicamente pelo site oficial, pois somente o fabricante do produto oferece tantas vantagens exclusivas, como por exemplo, garantia especial, descontos e promoções, garantia de entrega, facilidades nas formas de pagamento, e claro o produto original, com qualidade e eficácia.

 

DISFUNÇÃO ERÉTIL (IMPOTÊNCIA): DEFINIÇÃO, CAUSAS E TRATAMENTO

Procurando tratamento para a disfunção erétil?

Sexo é vida, afirma a campanha publicitária de uma clínica médica na mídia. Desde 1998, após o lançamento do primeiro medicamento administrado por via oral para tratamento da disfunção erétil, também conhecida como impotência, homens têm conseguido melhorar seu desempenho sexual. No entanto, muitos destes, adultos jovens entre vinte e trinta anos, passaram a viver a ansiedade de não “funcionarem” sexualmente sem suas pílulas “milagrosas”. A despeito da melhoria no relacionamento sexual com suas parceiras após o consumo do medicamento, não há a superação de seus medos/temores de desempenho, do tédio na relação conjugal, ou da superação de episódios históricos que tenham causado o primeiro episódio de impotência. Viagra, Cialis e Levitra têm seus méritos, mas não podem ser entendidos como tratamento completo para a disfunção erétil. O presente artigo tem o objetivo de apresentar uma definição de disfunção erétil, apresentar suas causas e propor um tratamento para o problema que apresenta uma incidência considerável nos dias atuais.

Disfunção Erétil, Impotência: O que é?
Perder a ereção na hora “H” é o que define a disfunção erétil? Segundo Ballone (2003), a disfunção erétil (impotência) é a incapacidade de se obter ou manter uma ereção adequada para a prática da relação sexual. O autor salienta que tal disfunção não deve ser confundida com a falta ou diminuição no “apetite sexual”, nem com dificuldade em ejacular ou em atingir o orgasmo (Ballone, 2003). É importante ressaltar que, para o diagnóstico, deve-se observar a recorrência do problema e que se deve descartar o diagnóstico quando os episódios de impotência ocorrem após a utilização de substância psicoativa, como alguns antidepressivos ou álcool, que podem dificultar a ereção.

Alguns homens queixam-se da falta de ereção desde o início da relação sexual, no momento das preliminares ou jogos sexuais; outros perdem após a penetração. Pode-se experienciá-la diante de situações específicas (por exemplo, sexo com mulheres muito atraentes) e não experienciá-la em outras (mulheres pouco atraentes ou classe sócio-econômica inferior).

O homem com disfunção erétil costuma sentir ansiedade diante da proximidade da relação sexual, medo do fracasso, preocupações acerca do seu desempenho sexual e, até redução do sentimento de excitação e prazer sexual. A disfunção pode, ainda, perturbar o relacionamento afetivo-amoroso, trazendo desconfianças e desentendimentos, e conduzir ao rompimento da relação.

Diante do problema, é comum observar-se homens com verdadeiros rituais para verificarem se têm ereção. Alguns se engajam na compulsão pela masturbação para mostrarem para si mesmos que o problema não é tão grave. Pode haver, ainda, o questionamento sobre a heterossexualidade. Neste caso, por falta de informação, há a idéia errônea de que não ter ereção na presença de mulheres sugere que sejam homossexuais. Aí, muitos passam a buscar várias parceiras sexuais para se certificarem que o “problema” foi circunstancial.

A camisinha passa a ser evitada, pois o homem com disfunção erétil teme a perda total ou parcial da ereção no momento de colocá-la. Com isso, há uma probabilidade maior de contágio de DSTs – doenças sexualmente transmissíveis como AIDS.

Quais as causas da disfunção erétil?
Dados de um estudo internacional que contou com a participação da FIOCRUZ – Fundação Oswaldo Cruz, apontam que a prevalência de disfunção erétil completa ou moderada é de 34% no Japão, 22% na Malásia, 17% na Itália e 15% no Brasil. Avaliando os quatro países, essa prevalência é de 9% na faixa etária de 40 a 44 anos e sobe para 54% entre homens de 65 a 70 anos de idade.

Como muitos outros transtornos, a disfunção erétil pode ter como causa fatores biológicos, psicológicos e/ou sociais. Os fatores biológicos são neuropatia diabética, arterosclerose, cardiopatias, hipertensão e outras.

Leia também: Viagra Natural comprar

Quanto aos fatores psicológicos e sociais, pode-se destacar a ampla aprendizagem que a pessoa tem sobre sexo. Destaca-se a aprendizagem sobre o que o sexo representa na vida, a importância da relação sexual satisfatória, o comportamento governado por regras como “Homem que é homem não nega fogo!”, ou “Homem de verdade tem que comparecer!”. Some-se a isto experiências sexuais desagradáveis como aquelas em que a parceira desqualifica o desempenho sexual do homem. Uma vida orientada para a produção de resultados no contexto profissional pode ser contexto propício para a disfunção erétil. Executivos de empresas, indivíduos com cargo de chefia no setor privado, ou profissionais de quem seja exigido desempenho elevado e constante podem estar muito preocupados com o trabalho a ponto de não conseguirem relaxar e se concentrar na relação sexual, o que dificulta ou impossibilita a ereção.Tais homens podem ter um desempenho ainda pior diante dos momentos de instabilidade nos negócios.

Qual o tratamento?
A disfunção erétil tem tratamento, podendo ser curada. Quando são descartadas as causas orgânicas, doenças e processo natural de envelhecimento, indica-se a psicoterapia comportamental como forma da pessoa buscar o entendimento do que produz a sua disfunção erétil, bem como enfrentar o problema em curto prazo e solucioná-lo. A psicoterapia pode ser individual ou de casal. O psicoterapeuta é o profissional indicado para definir a melhor estratégia de intervenção. Técnicas de terapia sexual podem ser ensinadas ao indivíduo ou casal, para que ele(s) as utilize(m) nos momentos de interação. A psicoterapia objetiva mudança em todos os níveis: comportamentos, pensamentos e emoções/ sentimentos. Isso quer dizer que não é funcional haver a recuperação da ereção, mas permanecer uma ansiedade constante e preocupação durante a relação sexual.

Diante do problema, algumas orientações podem ser úteis:
1- Busque o acompanhamento profissional psicológico ou médico para um diagnóstico preciso e para o tratamento adequado;

2- Não mantenha o “problema” sexual como foco! Diminua a cobrança para os resultados rápidos e explore outras atividades no seu relacionamento, tais como atividades culturais (cinema, teatro);

3- Embora a medicação possa ser indicada num determinado momento, ela não substitui uma relação sexual natural. Questione seu médico sobre a necessidade de manter a utilização do medicamento;

4- Aprenda a dizer “não” quando estiver cansado ou não estiver com desejo sexual. O homem tem o direito de negar sexo à sua parceira;

5- Diante da relação sexual, envolva-se ao máximo com a parceira, buscando preliminares e jogos sexuais que tragam prazer a você;

Sexo faz parte da vida, assim como o envolvimento emocional, o afeto, a cumplicidade, a desinibição no relacionamento a dois. Por isso, tão importante quanto manter a ereção numa relação sexual é mudar hábitos, pensamentos e sentimentos para buscar uma vida saudável na interação com sua parceira. Em Brasília-DF, conte com o Inpa – Instituto de Psicologia Aplicada para buscar tratamento para a disfunção erétil.

Tratamento diário para a disfunção erétil chega ao Brasil

Tratamento diário para a disfunção erétil chega ao Brasil

Sem tratamento, a disfunção erétil compromete não só a vida sexual do homem, como também a qualidade de vida (Foto: Divulgação)
No Brasil, mais de 40% dos homens com mais de 40 anos convivem com a disfunção erétil, caracterizada como a incapacidade em obter ou manter uma ereção satisfatória para uma relação sexual. Essa é uma estimativa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), que ainda mostra como esse percentual sobe com o avançar da idade: cerca de 60% dos homens a partir de 60 anos apresentam algum grau de dificuldade de ereção, que aumenta progressivamente nos anos seguintes.

Em alguns casos, é necessário o uso de medicações para tratar o problema. Em linhas gerais, esses remédios devem ser tomados quando o homem sabe que terá uma relação sexual. E até a próxima quarta-feira (15/9), mais uma opção terapêutica estará disponível nas farmácias. Trata-se de uma medicação que deve ser tomada diariamente, capaz de driblar a impotência sexual dos homens. Remédio para impotência

Pois é, a ala masculina que convive com o problema terá como opção tomar um comprimido todos os dias e, dessa maneira, poderão manter relações sexuais em qualquer momento do dia ou da noite, quando o casal decidir, sem se preocupar com a disfunção erétil.

O fármaco que chega nessa versão é a tadalafila, que faz parte do grupo dos medicamentos que são realmente efetivos. Eles são os inibidores de uma enzima que existe no pênis (a fosfodiesterase tipo 5) e, por isso, promovem um relaxamento da musculatura lisa do órgão sexual masculino.

Sobre a tadalafila diária, conversei com o gerente médico Luiz André Magno, da Eli Lilly, farmacêutica que produz o remédio. Ele me disse que os estudos com o intuito de avaliar a eficácia da medicação nessa versão começaram entre 2003. “Enquanto o paciente tiver impotência sexual, ele poderá usar a tadalafila de forma contínua, desde que exista recomendação médica”, informou Magno.

A versão diária do medicamento chega com 5 mg, diferentemente da opção com o mesmo princípio ativo que chegou primeiro no mercado, na dose de 20 mg, usada quando o homem programa (sabe que vai ter) a relação sexual. É importante destacar que a tadalafila e os seus concorrentes (sildenafila e vardenafila) só promovem a ereção peniana se o homem tiver desejo e estímulo sexual.

Antes de prescrever qualquer fármaco, a medida inicial do médico é orientar o paciente e a sua parceira sobre a sexualidade do casal (Foto: Divulgação)
Ainda para conhecer mais a tadalafila diária e trazer detalhes para o Casa Saudável, entrevistei também o urologista Misael Wanderley Júnior. Ele me explicou que o remédio em questão, na dosagem de 20 mg (ou seja, não é o de uso diário), já pode ser prescrito para o tratamento da impotência da seguinte maneira: o paciente toma um comprimido na quarta e outro no sábado. Ou seja, em dois dias da semana.

“Isso é possível porque a tadalafila tem uma meia-vida longa. Em outras palavras, é um fármaco que demora mais tempo circulando no organismo”, explicou Misael, que acrescentou: “Só a prática clínica vai nos dizer se é melhor prescrever a dose diária de 5 mg ou a dose de 20 mg em dois dias na semana”. O especialista ainda frisa que, ao analisar a equação custo/benefício, é possível saber se o comprimido de tadalafila diário será a primeira escolha quando o paciente precisar fazer uso de remédio para controlar a disfunção erétil.

Nesse sentido, vale informar que, antes de prescrever qualquer fármaco, a medida inicial é orientar o paciente e sua parceira, já que muitas das vezes o desconhecimento da própria sexualidade e o conflito do casal podem ser o agravante do problema.

A segunda medida a ser tomada são as modificações do estilo de vida, que fazem o paciente ter hábitos mais saudáveis, como realizar atividade física regular, cessar o tabagismo, reduzir a ingestão de bebida alcoólica, reorganizar a dieta e adotar um peso ideal, assim como rever as medicações que estão em uso para tratar outros problemas de saúde.

É fundamental ainda orientar o homem com impotência sexual a não fazer uso da automedicação, o que pode piorar o problema. “Uma vez iniciado um tratamento à base de tadalafila de uso diário com recomendação médica, o paciente só deve parar quando o especialista achar viável”, informou Luiz André Magno, que complementa: “Mesmo se o homem viajar e passar um período longe da parceira, não pode deixar de tomar o remédio”. Essa continuidade, por exemplo, faz com que ele fique coberto quando chegar de viagem e permaneça a ter relações sexuais sem problemas.

A outra dosagem de 20 mg de tadalafila também não deve ser tomada sem que o homem converse antes com um médico, já que existem efeitos colaterais. Além disso, o fármaco não pode ser usado conjuntamente com os nitratos, que são medicamentos utilizados para tratar a angina do peito. Essa recomendação ainda vale para os concorrentes da tadalafila: a sildenafila e a vardenafila.

Disfunção erétil pode ser um importante marcador

O diagnóstico da disfunção erétil é clínico – ou seja, o paciente conta para o médico que tem o problema. Hoje, para a investigação básica da impotência, preconiza-se dosar a testosterona (hormônio masculino), a glicose e o colesterol. Dependendo da situação, outros exames são solicitados.

Segundo Dr. Ricardo Meirelles, os médicos devem ficar atentos para o fato de que a impotência sexual pode ser um prenúncio de problemas cardíacos (Foto: Celso Pupo / Divulgação – DC Press)
“Aos 50 anos, cerca de 25% dos homens apresentam algum déficit de deficiência hormonal. E o conjunto de sinais que indica o problema é a perda da libido ou diminuição do interesse sexual”, salientou o endocrinologista Ricardo Meirelles, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), durante o Endócrino 2010.

“Esse cenário nos leva a uma preocupação em relação ao elo entre disfunção erétil e doenças cardiovasculares. Afinal, a impotência sexual pode ser um prenúncio de problemas cardíacos”, argumentou o endocrinologista. Ele exemplifica que há casos em que a disfunção erétil aparece e, após três anos, vêm o infarto e a angina.

“Nesse sentido, as medicações para tratar a impotência sexual podem ter também efeito positivo diante do controle das doenças cardiovasculares”, continuou Ricardo Meirelles, que acredita ser absolutamente necessário o médico de qualquer especialidade investigar a presença de disfunção erétil entre os pacientes, mesmo que a consulta não tenha o objetivo de analisar a saúde sexual.

“Já fizemos uma enquete entre os sócios da SBEM sobre essa questão. Infelizmente, na época, aproximadamente 30% deles admitiram que nunca questionaram os pacientes sobre impotência sexual. Acredito que esse cenário esteja mudando por causa dos cursos de atualização que a sociedade tem promovido”, disse o presidente da SBEM.

Informações importantes

– No Brasil, a utilização da tadalafila diariamente foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 25 de janeiro deste ano, mas só agora começa a chegar nas farmácias.

– Segundo a fabricante Ely Lilly, o tratamento com um comprimido diário deixa o homem apto para o sexo dia e noite, quando for o melhor momento para ele e sua parceira, fazendo com que ambos esqueçam a disfunção erétil e retomem a vida sexual. O resultado disso é a espontaneidade.

– Estudos clínicos realizados com 472 homens em vários países, incluindo o Brasil, com até dois anos de acompanhamento, comprovaram a tolerância e a eficácia da terapêutica diária para o tratamento de pacientes com o problema. Os resultados obtidos demonstraram que homens com impotência sexual tratados diariamente com 5 mg de tadalafila durante um e dois anos relataram uma baixa incidência de reações adversas, bem como a melhora da função erétil. Em alguns pacientes, a eficácia tem sido observada no segundo dia de administração diária. Embora, uma dosagem contínua do medicamento no organismo seja obtida em cerca de cinco dias.

Dados sobre disfunção erétil

– Especialistas acreditam que até 90% dos casos de disfunção erétil estão relacionados a uma condição física ou médica como diabete, doenças cardiovasculares e tratamento de câncer de próstata.

– E até 20% da impotência sexual podem ser predominantemente por causa de condições psicológicas. Em muitos casos, entretanto, fatores psicológicos e físicos contribuem para a condição.

– Em recente levantamento feito com 5.653 homens atendidos em 12 cidades (incluindo o Recife), entre março e junho de 2010, pelo Movimento pela Saúde Masculina, projeto itinerante da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) apoiado pela Eli Lilly, foi possível concluir que 1.971 (35%) alegaram sofrer com algum grau de disfunção erétil. Desses, 2% tinham entre 18 a 30 anos; 19% entre 31 a 45 anos; 48% entre 46 a 60 anos e 31% tinham 61 ou mais.