O que é Qualidade de Vida para você?

O que é Qualidade de Vida para você?

Entenda o que significa qualidade de vida para você.
Atualmente, muito se fala sobre qualidade de vida. Seja no quesito pessoal ou dentro da empresa em que se trabalha, é comum encontrarmos a busca por mais saúde e menos doenças.

Antes um termo usado apenas pelos profissionais de saúde, hoje a qualidade de vida tem sido um objetivo da sociedade. Com o aumento dos casos de estresse em várias faixas etárias, sedentarismo e depressão, as pessoas procuram se informar sobre como evitar e reverter essas mazelas.

Mas o que realmente significa “qualidade de vida”? Como ela se aplica nos diversos momentos da nossa rotina e, mais do que isso, o que ela representa para cada pessoa? O que fazer para alcançá-la?

Para esclarecer essas e outras dúvidas, confira o post que preparamos para você!

O que é qualidade de vida?
A definição de qualidade de vida é muito ampla, e cada indivíduo ou entidade tem um conceito para tal. Em resumo, tem a ver com encontrar equilíbrio (seja no âmbito financeiro, amoroso ou pessoal) e diminuir o estresse das situações cotidianas, a fim de alcançar autoestima e bem-estar.

Esse sentimento vai muito além da saúde física. Ele também abrange o estado psicológico do indivíduo, seu grau de independência, como são suas relações sociais em casa ou em outras situações cotidianas, o significado do trabalho em sua vida, tempo para sono e lazer, rotina profissional, espiritualidade, aprendizagem e muito mais.

Mesmo que não haja uma definição estabelecida, alguns órgãos tentam especificá-la para calcular como anda o bem-estar social. O Índice de Desenvolvimento Humano, por exemplo, é uma maneira oficial e padronizada de medir a qualidade de vida da população de determinada região. Ele leva em consideração três dimensões:

vida longa e saudável: expectativa de vida ao nascer;
acesso ao conhecimento: média de estudo e anos esperados de educação formal;
padrão de vida decente: PIB/PPC per capita.
Em 1995, a Organização Mundial da Saúde (OMS), definiu a qualidade de vida como “a percepção do indivíduo de sua inserção na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.

Onde existe qualidade de vida?
Conforme vimos, a qualidade de vida pode se referir a vários aspectos, por isso é tão variável de pessoa para pessoa. Porém, alguns pilares são essenciais para que você possa ter o mínimo de bem-estar no seu dia a dia. Confira:

Saúde financeira e sucesso profissional
A saúde do bolso pode significar muito para algumas pessoas. Há aquelas que priorizam uma vida financeira estável, que permita um padrão confortável e com alguns luxos e, para elas, alcançar esse objetivo é conquistar qualidade de vida. Junto a isso caminha a realização profissional. Alcançar um objetivo na carreira, como uma posição de chefia, por exemplo, também pode ser considerado qualidade de vida para alguns.

No entanto, a realização no trabalho não se limita apenas a status ou salário. Ela se encaixa, principalmente, em enxergar significado no seu cargo. Quando o indivíduo percebe que sua profissão tem razão de existir e é importante numa estrutura social (tanto dentro quanto fora da empresa), sua produtividade aumenta.

Saúde mental e do corpo
A saúde psíquica e corporal é um dos parâmetros que devem ser priorizados para uma vida com qualidade. Ambas andam juntas e se equilibram.

Com a imensa quantidade de informações e o fácil acesso que a Internet traz para a nossa rotina, o número de doenças psicossomáticas tem aumentado. Depressão, ansiedade e obsessões são algumas delas, mas esse mundo conectado também trouxe novos problemas, como o efeito Google, o FoMO (fear of missing out) e o transtorno de dependência da Internet.

Uma rotina profissional intensa também pode acabar com a saúde mental. Segundo o Anuário do Sistema Público de Emprego e Renda do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), doenças de natureza psicológica estão entre as principais causas de afastamento por doenças do trabalho.

Portanto, ter um tempo para se desligar da rotina profissional, do celular e de outras situações estressantes é essencial. Separe um período do seu dia para simplesmente “não fazer nada”: dê uma volta no parque, passeie tranquilamente com os cães ou sente-se na grama para tomar um pouco de sol.

Já a saúde física, embora muito mais valorizada nos dias de hoje, acaba sendo lembrada apenas por motivos estéticos. No entanto, é comprovado que dietas restritivas geram efeito rebote em longo prazo. Além disso, a busca incessante por um corpo magro ou musculoso costuma gerar doenças como anorexia, vigorexia, ansiedade e depressão.

Um indivíduo saudável pode ser muito diferente de uma pessoa esteticamente aceitável. Uma rotina com alimentação de qualidade, exercícios físicos e exames médicos periódicos traz muito mais qualidade de vida que a busca pela imagem perfeita.

Lembre-se de que a saúde física interfere diretamente na mental: a prática constante de atividades libera endorfina, o hormônio do bem-estar, da alegria. Além disso, terapia, meditações e outros tratamentos que promovam saúde de forma integral são fundamentais.

Família e vida amorosa
Para algumas pessoas, qualidade de vida significa ter uma família e uma vida amorosa bem resolvida. Elas possuem um foco maior no relacionamento interpessoal, e gostam de trabalhar a segurança emocional e o convívio com outros grupos.

Com isso, sabem separar o lado pessoal do profissional, valorizando o tempo com a família e amigos. As relações amorosas também se tornam mais equilibradas.

Qualidade de vida pode ser diferente de pessoa para pessoa?
Como dito anteriormente, cada indivíduo tem a sua prioridade. Alguns acreditam que sua qualidade de vida está em ter uma vida financeira tranquila e confortável; outros pensam em constituir família, ter um relacionamento estável, conquistar a carreira dos sonhos, poder viajar tranquilamente no fim do ano ou ter mais tempo para o lazer ou para cuidar de si.

Cabe analisar quais aspectos da vida são mais importantes para você e, assim, entender quais pontos devem ser priorizados para obter mais qualidade de vida. Porém, pilares da saúde física e mental são essenciais para que você possa correr atrás de outros fatores importantes, como a realização pessoal e profissional.

Por que ter mais qualidade de vida?
Veja agora os benefícios que a busca por uma vida com bem-estar pode proporcionar:

Crescimento constante
Quem se preocupa com qualidade de vida sabe que, apesar da importância dos momentos de ócio, é bom não se acomodar. O aprendizado constante aumenta a plasticidade do cérebro, ou seja, a capacidade do órgão de se modificar e reter informações.

É um ciclo: quanto mais você aprende, mais aumenta a vontade de aprender. Além disso, o interesse em experimentar atividades diferentes aumenta seu ciclo social, amplia a gama de assuntos e melhora a saúde física e mental.

Saúde em dia
Buscar o bem-estar é procurar por saúde. Portanto, boa alimentação, exercícios físicos e check-up anual vão estar na sua rotina. Além disso, corpo e mente saudáveis são peças-chave para você alcançar outros objetivos de vida.

Valorização da família e amigos
As relações interpessoais são de extrema importância para a qualidade de vida. Criar laços estreitos com a família e os amigos aumenta a sensação de amparo, traz base emocional e auxilia na tolerância.

Além disso, quando você mantém relações saudáveis com quem está por perto, é muito mais fácil fazer amigos e manter contatos profissionais.

Velhice sem depressão
A qualidade de vida beneficia não só o momento presente, mas também o futuro. Uma rotina saudável proporciona uma velhice independente, cérebro saudável e vida social, além de evitar ou retardar o avanço de doenças degenerativas.

Leia também: bem estar

Como ter mais qualidade de vida?
Adote os seguintes hábitos para ter mais qualidade no seu dia a dia:

Inclua exercícios físicos na rotina
Como você notou, exercícios beneficiam tanto a saúde física quanto mental. Uma vida saudável inclui a prática de atividades por, pelo menos, três horas em cada semana.

Para não perder o foco, escolha uma atividade física que faça sentido para você. Não precisa ficar preso a uma academia. Corrida, natação e balé, por exemplo, são exercícios que fortalecem os músculos, melhoram a frequência cardíaca e aumentam a expectativa de vida. No entanto, consulte um médico antes de praticá-los.

Tenha uma boa alimentação
Os alimentos influenciam no seu desempenho nos esportes, na produtividade, foco e até mesmo no humor. Ter uma dieta equilibrada (baseada na reeducação alimentar) faz com que você consuma diariamente todos os nutrientes necessários para uma vida saudável.

Converse com um nutricionista e peça uma dieta que atenda a sua prioridade atual (ganhar massa muscular, aumentar a resistência física ou melhorar sua imunidade, por exemplo).

Faça terapia
Nem todos os problemas da vida podem ser superados por conta própria, então por que não começar uma terapia? Além de auxiliar no tratamento de doenças psicológicas, vícios e traumas, as sessões também proporcionam autoconhecimento, diminuem a tensão rotineira, aumentam a qualidade dos relacionamentos e a produtividade no trabalho.

Ao contrário do que se pensa, o paciente não fica “preso” na terapia. A quantidade ou frequência de sessões é decidida entre ele e o terapeuta.

Procure um coach
O coaching é uma metodologia de aperfeiçoamento pessoal e profissional. O coach, profissional capacitado para exercer a função, utiliza recursos variados para extrair o melhor de cada cliente (coachee).

Seu objetivo é ampliar as diversas inteligências de cada coachee. Ele adapta suas técnicas a fim desenvolver aquilo que é necessário para o cliente no momento, sempre estimulando sua evolução contínua.

Durma com qualidade
Uma boa noite de sono é essencial para um dia produtivo. Mas cuidado: compensar no fim de semana as noites mal dormidas nos dias úteis não traz efeito e pode até fazer mal. Portanto, procure dormir entre sete a oito horas por noite.

Continue estudando
O estudo traz vantagens de curto, médio e longo prazo. E não estamos falando apenas da educação formal: cursos de culinária, artesanato, novos idiomas e até uma prática esportiva estão dentro desse ciclo. O importante é não se acomodar e sair da zona de conforto. Você logo perceberá os efeitos benéficos na sua qualidade de vida.

Leia mais
Seguindo a prática dos estudos, que tal incluir mais leituras na sua rotina? Aproveite para fazê-las nos momentos que estiver preso no trânsito ou dedique um tempinho livre com autores que possam acrescentar algo em sua vida.

Em “Revolucione sua qualidade de vida ― navegando nas águas da emoção”, o psiquiatra, psicoterapeuta e escritor Augusto Cury ensina como desenvolver sua inteligência emocional e a superar dificuldades. Já em “Treinando a emoção para ser feliz”, Cury aborda doenças que estão afetando a saúde mental e explica como trabalhar a emoção para ter uma autoestima fortalecida.

Como você pôde perceber, embora tenha algumas definições e padrões, a qualidade de vida é algo relativo, que depende de fatores pessoais e prioridades. No entanto, há pilares que, quando bem trabalhados, ajudam você a ter bem-estar e dias melhores. Portanto, não deixe de correr atrás de sua saúde física, mental, espiritual e profissional!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *